Big Sur e Jack Kerouac

Beat Generation, Cultura, Livros e Autores
Em 31 de janeiro de 2015
Durante o cafezinho do(a)

Atenção, pode conter spoiler…

“Os sinos da igreja soam uma triste ‘Kathleen’ que o vento sopra até os barracos do skid row enquanto eu acordo todo lamentoso e gosmento, gemendo por conta de mais uma bebedeira e gemendo acima de tudo porque eu arruinei o meu ‘retorno secreto’ a São Francisco tomando todas enquanto me escondia pelos becos com vagabundos e depois fazendo uma entrada triunfal em North Beach para ver todo mundo embora eu e Lorenz Monsanto tivéssemos trocado cartas enormes planejando que eu ia chegar de mansinho, ligar para ele usando um nome tipo Adam Yulch ou Lalagy Pulvertaft (também escritores).” (Kerouac)

(Fonte: Encarte do Documentário One Fast Move or I’m Gone)

Big Sur é uma complexa obra de Jack Kerouac escrita em apenas 10 dias, que se aprofunda em termos psicológicos bastante pessoais do autor, sobre o sofrimento da existência caótica de um poeta beat, a degradação da sua saúde, a descrença espiritual, as pressões da fama como escritor e como ícone. Há uma sinceridade triste na obra com a qual é quase impossível não se conectar, e no documentário “One Fast Move or I’m Gone”, que trata sobre este livro, esta conexão é bem exemplificada, pela relação que as pessoas passam a ter com o livro depois de lido.

Pessoalmente, confesso que compartilho desta conexão com o livro (talvez por isso esteja sendo tão difícil tentar falar sobre ele), mesmo não sendo o meu favorito do Kerouac, é um grande livro. Ao mesmo tempo que é pesado, como se não houvesse forma de terminar a leitura, sem que ou você, ou o autor desistisse daquela história (não por ser ruim, ou difícil, mas sim pela imersão do leitor). Ele também é um livro lindo, no final.

Como um degradado-apaixonado pela vida, Jack compõem uma obra beat, sonora e poética, com suas descrições, divagações e alucinações. E descreve uma viagem diferente da vivida em On The Road. Não gosto muito dessa definição, mas talvez, Big Sur possa ser considerada uma continuação de On The Road, não somente no contexto, mas também em uma compreensão mais essencial da obra.

“’Tenho que fazer alguma coisa senão eu já era’, eu percebo, seguindo o caminho dos últimos três anos de desesperança bêbada que é um tipo de desesperança metafísica e espiritual que você não aprende na escola não importa quantos livros de existencialismo ou pessimismo você lê.” (Kerouac)

Ano que vem o livro completará 50 anos, e existem notícias sobre o lançamento de um longa da história. Esperaremos, pois parece que 2012 será o ano do Kerouac nas telonas. Além de Big Sur, On The Road e Os Vagabundos Iluminados também estão sendo adaptados.

Onde encontrar? Aqui no Brasil, a L&PM possui o livro em português na versão digital (e-book) e impresso como Pocket. Ou pode ser comprado pelo site da Saraiva.

Documentário sobre o livro

“One Fast Move or I’m Gone” é um documentário que trata especificamente do livro Big Sur, e que complementa a experiência de ler a obra e de conhecer um pouco mais sobre o próprio Jack. Já publicamos antes algumas informações sobre o documentário no post Documentários sobre Kerouac.

Envie seu Comentário  Leia os Comentários 

Review: Café do Mercado (I)

Reviews de Cafés
Em 28 de maio de 2012
Durante o cafezinho do(a)

Um café adorado pelos apreciadores de Porto Alegre, o conhecido Café do Mercado, pode ser encontrado, no local que deu origem ao seu o nome: o Mercado Público de Porto Alegre, localizado no centro da cidade. A marca que no dia 23 de maio completou 15 anos de existência, hoje é reconhecida tanto pela qualidade do seu café, como pela qualidade dos seus serviços, e em 2004, recebeu o prêmio de melhor cafeteria da cidade, pela revista Veja.

Hoje, apresentamos o review de dois Cafés Especiais de Origem, da marca Café do Mercado, que nos foram enviados para que pudéssemos lembrar um pouco dos sabores de Porto Alegre. A linha é composta por cinco tipos diferentes de cafés, certificados pela BSCA (Associação Brasileira de Cafés Especiais), que são: Cerrado Mineiro, Sul de Minas, Bahia, Mogiana e Orgânico. Os cafés especiais da marca, são torrados num torrador Diedrich (considerado um dos melhores), que está instalado no Mercado.

Café Sul de Minas

Café arábica, de torra média, com o qual fizemos um longo teste, preparando-o de três formas diferentes (com coador/filtro de papel, coador de pano individual e cafeteira italiana – Moka). Após o preparo o apresentamos para cinco pessoas. O Café Sul de Minas possui um sabor cítrico suave, que foi bastante apreciado por todos que provaram. Esta suavidade ajuda a deixar o café com um sabor de “quero mais”.

Café Orgânico

Café arábica, de torra média, livre de agrotóxicos. O Orgânico foi provado por três pessoas, que também provaram o Sul de Minas, e foi preparado no coador de papel tradicional. Possui um aroma bastante destacado desde o primeiro momento que se abre a embalagem, além da mesma suavidade do Sul de Minas. Quanto ao sabor, está marcado pela pureza do gosto do café. Prepara uma bebida de ótima qualidade.

O Café do Mercado

Pessoalmente, morei 3 anos em Porto Alegre, e o Café do Mercado tem um gosto de saudade, conhecendo o carinho que a maioria dos apreciadores de café da cidade tem pela marca. Caso esteja passando por lá, não deixe de comprar o seu café, ou aproveitar para tomar um cafezinho, em uma das três lojas em Porto Alegre, sendo duas no Mercado Público, e uma na Travessa Acilino de Carvalho, os endereços podem ser encontrados neste link.

Em breve, teremos o segundo Review do Café do Mercado, com os outros Cafés Especiais de Origem.

Onde encontrar? Nas lojas do Café do Mercado, em Porto Alegre. Lembrando que a marca possui ainda outros produtos, como chás e equipamentos profissionais.

OBS.: Além de aproveitar para tomar um delicioso café, um passeio pelo Mercado Público de Porto Alegre, com todo o seu charme e especiarias, é um programa imperdível.

Envie seu Comentário  Leia os Comentários 

Review: Journey

Games
Em 26 de abril de 2012
Durante o cafezinho do(a)

“O mais bonito de todos os jogos”, talvez possa ser resumido assim um dos destaques da rede de jogos do Playstation, a PSN. Journey é um jogo casual que sai da breviedade do estilo, e tem recebido inúmeros elogios dos seus jogadores. O seu título de “mais bonito” não se encontra apenas nos gráficos, ou na sua simplicidade, mas sim em como ele pode ser emocionante. O interessante é permitir-se participar da história, envolver-se.

(Fonte: thatgamecompany)

O jogo começa no meio de um deserto, e sem a necessidade de maiores explicações, você é apresentado a um personagem envolvente, e já sabe que precisará chegar a um objetivo maior, e que talvez esta seja a sua “jornada”. Com um jogabilidade bastante simples nada precisa de muita explicação. Você simplesmente entra em um universo novo, no qual passará por algumas fases que podem ser jogadas em aproximadamente 2 horas, mas que valem à pena ser estendidas observando cada detalhe do jogo.

Pessoalmente, quando li alguns reviews e vi as primeiras imagens, associei o jogo um pouco ao Limbo do Xbox, porém não vale a comparação, já que são jogos com envolvimentos diferentes.

Journey é exclusivo para o PS3, e pode ser adquirido através da PlayStation Store, por U$14,99. Um bom review em vídeo com cenas de gameplay que mostra algumas imagens do jogo, sem estragar a imersão, pode ser encontrado no canal da IGN, http://www.youtube.com/watch?v=bKqeD7ojynw

Envie seu Comentário  Leia os Comentários 

Cafés do Brasil no iPad

Tecnologia
Em 5 de abril de 2012
Durante o cafezinho do(a)

Um aplicativo interessante que instalei há alguns dias no iPad, e que merece um review aqui na Turma, foi o Cafés do Brasil. Desenvolvido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, traz informações de forma lúdica sobre a produção de café no país, e mesmo sendo simples, ainda é interessante para quem gosta de conhecer mais sobre café.

O aplicativo vem em três idiomas (português, inglês e espanhol), conta com um mapa informativo e traz duas galerias, uma de vídeos e outra de imagens. A galeria de vídeos tem somente 3 vídeos (mas mesmo assim deixa o aplicativo mais pesado do que seria, 90,7 mb), enquanto a galeria de imagens tem uma boa quantidade de fotografias, na sua maioria de qualidade condizente com a proposta do aplicativo.

Mas o destaque do aplicativo está mesmo no Mapa das Regiões Produtoras de Café no Brasil, que leva à informações, curiosidades e números sobre a produção em cada um dos estados (Minas Gerais, São Paulo, Espírito Santo, Bahia, Paraná e Rondônia), ou às características do café de cada região produtora.

Para quem não conhece as Regiões Produtoras de Café no Brasil, o aplicativo lista as seguintes:
– Café do Sul de Minas
– Café do Cerrado de Minas
– Café da Chapada de Minas
– Café das Matas de Minas
– Café da Mogiana
– Café do Centro-Oeste de São Paulo
– Café das Montanhas do Espírito Santo
– Conilon Capixaba
– Café do Norte Pioneiro do Paraná
– Café do Planalto da Bahia
– Café do Cerrado da Bahia
– Café de Rondônia

O aplicativo ainda permite que se assine uma newsletter de notícias (podendo selecionar as regiões que se tem interesse), mas que infelizmente é entregue por e-mail, e não através do aplicativo. (Obs.: Não cheguei a testar esta função.)

No geral, é um aplicativo de qualidade, e bastante didático, para quem quer saber mais sobre o café brasileiro, e que eu recomendo já que é gratuito. O mesmo está disponível na App Store, somente para o iPad.

Envie seu Comentário  Leia os Comentários 

Um dos maiores: Randy Rhoads

Espressos, Música
Em 19 de março de 2012
Durante o cafezinho do(a)

Para muitos, Randy Rhoads é um dos maiores e mais influentes guitarristas da história. Sua virtuosidade aplicada ao Metal tem refletido na música de diversos guitarristas. Hoje, 19/03/2012, completa 30 anos da trágica morte do jovem guitarrista de apenas 25 anos, que tocou com o Quiet Riot e Ozzy Osbourne.

Quem não conhece muito sobre Randy Rhoads, pode ter uma visão rápida sobre a sua personalidade e talento através da biografia de Ozzy Osbourne (“Eu Sou Ozzy”), onde o guitarrista é citado em diversos momentos com grande carinho pelo vocalista.

E uma homenagem de Zakk Wylde…

Envie seu Comentário  Leia os Comentários 

Irish Coffee pro St. Patrick

Café no Mundo
Em 17 de março de 2012
Durante o cafezinho do(a)

Hoje é dia de São Patrício, se não pode com cerveja, vá de café.

 

Apesar de ter entrando para a turma do café a um tempinho, eu nunca escrevi nada sobre café, como amanhã é dia de São Patrício, me lembrei dessa receita de café e nada mais justo que compartilhar com os amigos da Turma do Café. O Irish Coffe [um café de irlandês] é um café bem diferente, pois na sua receita vai o famoso Whiskey [O Irlandês se escreve assim].

Já bebi esse café algumas vezes, mas confesso que não é simples de achar um café que sirva ele decentemente. A receita segue a original vinda direto da irlanda, aprendi a receita com uma ex-namorada que era barista, o relacionamento se foi, mas a receita de café ficou.


Ingredientes:

27 ml de whiskey irlandês [De Preferência Jameson]
45 ml de café forte quente [expresso, de preferência]
18 ml de creme de leite fresco batido ou chantilly
1 colher de bar de açúcar.

Criando

Escalde uma  taça para Irish Coffee com água quente [Segredo número 1].

Coloque o açúcar na taça e, em seguida o Whiskey.

Complete com o café, deixando espaço para o creme de leite no copo.

Mexa bem e deixe o líquido descansar um pouco.

Então, vá adicionando o creme de leite, despejando sobre as “costas” de uma colher aquecida bem devagar.[Segredo número 2]

É indispensável que o creme de leite flutue na superfície do Café, sem se misturar a ele, deve permanecer como uma fase distinta do corpo da bebida.


Se  fizer direitinho, vc não vai sentir o gosto do Whiskey e só algumas notas de seu sabor ao fundo, o que vai prevalecer realmente é o gosto do café.

 

Hoje tem Post especial de Saint Patrick no malditovivant.net



Envie seu Comentário  Leia os Comentários 

Trailer: On The Road

Beat Generation, Filmes
Em 9 de março de 2012
Durante o cafezinho do(a)

A adaptação do clássico beat On The Road (de Jack Kerouac), um dos esperados filmes de 2012, dirigido por Walter Salles, acabou de ter o seu trailer oficial publicado no facebook, através da página “On The Road – The movie“, na aba “Exclusive contents”.

(Pôster do filme divulgado através da página oficial no facebook)

Atualizado em 10/03, 13:13:


On the road – Official trailer – (HD 1080p) por MK2diffusion

Sobre o lançamento do filme no Brasil, as informações que temos, foram as divulgadas pelo twitter do Grupo PlayArte, @grupoplayarte

__________________________________________________

Se você ainda não leu este grande clássico da literatura, procure o livro na loja virtual da Saraiva, “On The Road“;  também na versão “On The Road – O Manuscrito Original“.

Envie seu Comentário  Leia os Comentários 

HQ – Daytripper

Cultura, HQs
Em 7 de março de 2012
Durante o cafezinho do(a)

“Ele andou duas quadras até perceber que não estava mais triste. Estava feliz e de repente tudo que conseguia pensar era em coisas alegres.

Tudo em que conseguia pensar era… Nela.

Ela era a criatura mais bonita da face da terra – Seu cabelo disse isso, em uma língua que só os cabelos conseguem falar.

Porque ele não foi falar com ela?” (Daytripper #3 – Gabriel Bá e Fábio Moon)

“Quais são os dias mais importantes da sua vida?” É esse o tom filosófico, sonhador, imaginário e real, que Daytripper oferece em suas páginas. Em mudanças temporais o quadrinho envolve o leitor em uma busca de respostas pessoais.

Daytripper, é uma grande HQ escrita pelos paulistas Fábio Moon e Gabriel Bá, ganhadora do prêmio Eisner, listada pelo The New York Times entre os quadrinhos mais vendidos, lançada pela Vertigo e Panini, colorida, com 256 páginas. Distribuída no Brasil em volume único, conta uma interessante história de 10 capítulos, sobre um escritor de obituários, chamado Brás, que se encontra em questionamentos sobre a sua existência, e devaneios entre a tristeza, a alegria, o amor, quase como uma nostalgia existencial, elevada pela conclusão final da história.

A revista apresenta em cada um de seus capítulos diversas referencias culturais ao Brasil, seja nas ruas de São Paulo, nas praias, em fatos históricos, nas crenças, nas brincadeiras de crianças, além de uma estética rica em detalhes (seja nas expressões faciais, nos detalhes do ambiente, ou na abstração da realidade) que permite a imersão do leitor no ambiente e na história.

Pessoalmente, esta HQ deu início ao meu interesse atual por quadrinhos, já que sempre tive uma visão deles como caros e efêmeros. Com questionamentos filosóficos que eu não acreditava serem possíveis em quadrinhos, e que depois da leitura pareceram muito mais conscientes pelo envolvimento criado na inusitada história, de forma tão natural. E claro, também, pela qualidade excepcional dos desenhos.

Assista também a uma entrevista do Saraiva Conteúdo com os dois irmãos quadrinistas no seu estúdio em São Paulo, http://www.youtube.com/watch?v=BBlxSJezoUU

Recomendo esta HQ a todos, mesmo a quem não tenha o hábito de ler quadrinhos, serão algumas horas de uma leitura incrível.

Onde encontrar? Na loja virtual da Saraiva.

Envie seu Comentário  Leia os Comentários 

Um café com Ozzy

Espressos, Música
Em 5 de março de 2012
Durante o cafezinho do(a)

Ozzy Osbourne é um dos mais queridos e carismáticos personagens do Rock ‘n Roll (leia a sua biografia “Eu Sou Ozzy” para entender um pouco mais). E parece que ele gosta de um cafezinho (assim como a Ozzy Band).

Veja o vídeo da OzTv, sobre a passagem da Scream Tour de 2011 pela Argentina…

E também uma entrevista do Ozzy em 1991 numa pacata cafeteria.

Envie seu Comentário  Leia os Comentários 

Steve Jobs, iPhone e Starbucks

Espressos
Em 4 de março de 2012
Durante o cafezinho do(a)

Um vídeo muito divertido do Steve Jobs fazendo uma brincadeira passando um trote numa loja da Starbucks, durante a apresentação do iPhone na Macworld 2007, pedindo 4.000 Lattes para levar.

E se você ainda não leu, recomendamos a HQ “The Zen of Steve Jobs” e a sua grande biografia, escrita por Walter Isaacson, “Steve Jobs – A Biografia“.

Envie seu Comentário  Leia os Comentários