Pegue o café e respire.


Em 28 de setembro de 2011
Durante o cafezinho do(a)

Ela entrou naquele café meio sem querer, na verdade foi pra escapar da chuva que caia insistentemente naquela tarde de primavera que ainda trazia consigo as brisas do inverno. Sentou-se perto da janela, com aquela desconfiança de que a chuva atrapalharia seus planos de chegar ao trabalho, olhava para as pessoas que passavam apressadas, correndo, fugindo, em busca do tempo perdido que na verdade nunca tiveram.
Conseguiu ver seu rosto e cada um que passava, reclamando e pulando as poças, porque logo hoje tinha que chover, como se o dia importasse para a chuva, que só desejava cair. Dias chuvosos são feitos para ficarmos em casa, pensou.

Pediu um café, “preto por favor”, afinal precisava de companhia, retirou da bolsa um livro, alguns poemas que levava sempre consigo para caso existisse uma brecha no seu dia, o que é praticamente impossível. Abriu o livro, que parecia nunca ter sido folheado antes, na primeira página um recado de sua mãe: “Filha, pare e respire.”, no mesmo instante um suave suspiro encheu de ar seus pulmões, aquela brisa com cheiro de terra molhada e café feito na hora lhe trouxe a sensação de que aquela tarde poderia tornar-se uma bela tarde chuvosa.
Algumas páginas e xícaras depois, resolveu conferir a hora, já estava atrasada, e muito, sentiu-se aflita e lembrou do recado de sua mãe, parou. Respirou. Respirou novamente, é impressionante como as coisas mudam depois que respiramos com vontade e não por instinto.
A chuva diminuiu, resolveu ir, ao levantar-se, pensou, o livro fica, e deixou-o sobre a mesa, o livro ficou para a próxima alma apressada que precisava daquele conselho, e partiu, atrás do tempo perdido.

Envie seu Comentário  Leia os Comentários 

“Atenção ouve bem mundo triste e cruel”


Em 18 de agosto de 2011
Durante o cafezinho do(a)

“Atenção ouve bem mundo triste e cruel: os teus erros eu vou corrigir, tu verás. Todo homem debaixo do céu vai amar, vai sorrir, vai cantar.

Eu sou eu, Dom Quixote, senhor de La Mancha. E venho esse mundo mudar. E irei por ele em busca de um sonho, até esse encontrar.”

(Dom Quixote de La Mancha – Miguel de Cervantes)

 

Dom Quixote, pois às vezes é bom acordar sonhando… Bom dia!

Envie seu Comentário  Leia os Comentários 

You did it!


Em 16 de agosto de 2011
Durante o cafezinho do(a)

Pra mim, o melhor café do mundo está ali na cozinha, e para vocês? =D

Bom dia!

Envie seu Comentário  Leia os Comentários 

FELIZ DIA DOS PAIS!


Em 14 de agosto de 2011
Durante o cafezinho do(a)

Envie seu Comentário  Leia os Comentários 

Deve haver algo na minha caneca…


Em 5 de agosto de 2011
Durante o cafezinho do(a)

“There must be something
in the water that’s making me feel so good
There must be something
in the sky above, the moon the sun some love
There must be something
in the way, the way i see the world
There must be something
out there man, cuz i’m really feeling good”
(Bag of Toys – Something)

Ahhh! Deve haver algo na minha caneca também… =D

Envie seu Comentário  Leia os Comentários 

Café de segunda


Em 1 de agosto de 2011
Durante o cafezinho do(a)

Para começarmos uma nova semana (e um novo mês), temos uma nova segunda-feira. Então, preparem o café!

“- Me deixa!

Foi um grito que começou abafado nas profundezas do sono, rapidamente ergueu-se como um lamento até tornar-se um apaixonado grito de guerra, morrer e se afundar num inarticulado balbucio. Foi um grito bestial, de uma alma atormentada repleta de infinita dor e protesto.

[…]

Comeu apressadamente, mastigando meio pão e engolindo os pedaços maiores junto com o café. O líquido quente e lamacento que recebia nome de café. […] Pensava que era café – e ótimo café. Essa era uma das poucas ilusões da vida que lhe haviam sobrado. Nunca tinha bebido café verdadeiro em toda a sua vida.”

(O Herege – Jack London)

Envie seu Comentário  Leia os Comentários 

Um mini-post de café da manhã


Em 30 de julho de 2011
Durante o cafezinho do(a)

“Procuro minha calça e tu corres pela sala só de meias,
achas minha camiseta, enquanto pega o café.

Ri da minha cara enquanto procuro embaixo da mesa,
e eu rio de você quando não encontras a blusa
que empurrei para baixo do sofá da sala.

Diz-me que precisa ir trabalhar, e procura animada e sem pressa,
em cima da tv, dentro do guarda-roupas,
nas tuas gavetas e sobre os livros da estante,
eu olho pela janela, em busca da minha camisa ou tua calça.

Sentamos no sofá, sorrindo sem nos olhar…
Porque devemos as roupas procurar?
As roupas perdidas pela casa, não deveriam ser encontradas…”

Bom dia!

Envie seu Comentário  Leia os Comentários 

Café de domingo


Em 21 de Março de 2010
Durante o cafezinho do(a)

Café de Domingo

Para alguns o domingo começa devagar, aos poucos o sol dá um jeito de entrar pelas cortinas e te faz levantar ainda com sono, antes de começar a pensar você já se vê na cozinha ligando a cafeteira para depois abrir as janelas e lavar o rosto, lembrando de acordar com um beijo e uma caneca de café a pessoa amada.

Para outros o domingo começa agitado, sozinho acorda antes das seis para poder ver o nascer do sol em qualquer lugar que não seja a janela de casa. Faz uma caneca de café, e aprecia cada movimento da sua fumaça entre os goles, pensando em poder fazer isso todos os dias, acompanhado de olhares apaixonados.

É o café que te faz saber que está acordado enquanto sonha… Mas domingos sempre estarão aqui ou ali, perdidos entre canecas de um amargo café.

Envie seu Comentário  Leia os Comentários