Podemos considerar o nosso cafezinho de todo dia como um ritual, acordamos, bebemos nosso café e enfrentamos o dia, mas na Etiópia esse momento é uma cerimônia que leva mais de uma hora, com importante significado cultural, representando amizade e respeito.

 

A tarefa fica a cargo das mulheres que preparam o braseiro, colocam os grãos de café em uma bandeija onde serão torrados, depois os grãos são moídos numa espécie de pilão.

Enquanto os grãos são moídos, a água aquece em uma chaleira, depois de quente a água se junta ao pó do café em um jarro de barro chamado Jebena, após o café é servido em pequenos copos chamados Sini, colocados sobre uma pequena mesa com uma toalha bordada, que possui uma gaveta para as colheres.

Os copos são enchidos até a borda, o café deve ser bebido lentamente, manda a tradição que devem ser consumidos pelo menos 3 copos de café. O terceiro copo é o da berekha, a benção.