“Procuro minha calça e tu corres pela sala só de meias,
achas minha camiseta, enquanto pega o café.

Ri da minha cara enquanto procuro embaixo da mesa,
e eu rio de você quando não encontras a blusa
que empurrei para baixo do sofá da sala.

Diz-me que precisa ir trabalhar, e procura animada e sem pressa,
em cima da tv, dentro do guarda-roupas,
nas tuas gavetas e sobre os livros da estante,
eu olho pela janela, em busca da minha camisa ou tua calça.

Sentamos no sofá, sorrindo sem nos olhar…
Porque devemos as roupas procurar?
As roupas perdidas pela casa, não deveriam ser encontradas…”

Bom dia!